Simples Nacional influencia empreendimentos da área médica

Simples Nacional

Simples Nacional influencia empreendimentos da área médica

Tabela tributária reduziu impostos para empresas do setor

 

O Simples Nacional é um sistema especial de recolhimento de tributos federais, estaduais e municipais em um único documento, o que ajuda a reduzir a carga tributária. Para participar deste sistema e, consequentemente, reduzir custos com impostos, é necessário ter a renda mínima exigida pelo governo de acordo com a área de atuação. A medicina, por exemplo, entrou nessa tabela recentemente e teve seus tributos reduzidos para até 6% – o valor varia de acordo com o faturamento de cada empresa.

A luta para que o setor entrasse nessa tabela já era antiga e visava beneficiar os inúmeros donos de empreendimentos especializados em saúde no Brasil. Com isso, além do segmento ganhar mais destaque e possibilidades de crescimento, o mercado como um todo se beneficia com a criação de mais postos de emprego. Para o diretor da Associação Paulista de Medicina, Marun David Cury, trata-se de uma conquista muito grande para os profissionais da categoria que, segundo ele, sempre foram muito criticados pela tributação de impostos.

A nova tabela do Simples Nacional começa a valer a partir do dia 1° de janeiro de 2018. Graças a ela, os médicos poderão pagar esses tributos unificados por meio do anexo da lei III. Para isso, a relação entre salários pagos e receita bruta deve ser menor que 28%. Caso esses valores sejam ultrapassados, os profissionais desse setor terão que arcar com os valores referentes a tabela IV, que conta com taxas superiores a 15,5%. Antes dessas mudanças, os médicos pagavam tributos que iam de 16,93% a 22,45%.

O Simples Nacional conta com várias tabelas que são organizadas de acordo com a área do empreendimento e com a renda bruta do local. Dentro de cada uma delas, existem diversos níveis de faturamento que correspondem à faixas pré-determinadas de porcentagem de impostos. Para Marun David Cury, apesar da conquista recente, ainda é possível auxiliar ainda mais os médicos e enquadrá-los em tabelas mais favoráveis. “Estamos no anexo III, mas continuaremos lutando para que sejamos enquadrados no I, com alíquotas menores”, afirmou.

Segundo as estimativas de Cury, cerca de 70% dos médicos serão beneficiados com essa medida. Com isso, a tendência é que, além dos profissionais, os pacientes também sejam beneficiados, já que poderão contar com mais empresas especializadas em atendimentos médicos e, em alguns casos, com valores menores. Além disso, empreendimentos que estiverem iniciando suas atividades poderão contar com alguns benefícios, como uma tolerância de 20% de superação da receita.

Para quem quer ingressar nesse programa de unificação de impostos, mas possui débitos com a Receita Federal, ainda é possível parcelar as dívidas. Os parcelamentos podem ser feitos em até 20 vezes, o que ajudará diversos profissionais que acabaram se enrolando com o pagamento de impostos. Para saber mais sobre o Simples Nacional, basta acessar http://www8.receita.fazenda.gov.br/SimplesNacional/. Nesse endereço virtual, é possível ter acesso às tabelas tributárias completas e entender a relação dela com a medicina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *